Site não oficializado do Sport Clube Penalva do Castelo.
A força penalvense desde 1945 no desporto e no futebol com paixão...

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Dia de São Pedro (29 Junho 2015)


O Dia de São Pedro comemora-se em Portugal a 29 de Junho.

Tal como São João e Santo António, São Pedro é um santo popular. Este dia é também conhecido como o dia São Pedro e São Paulo.

A data é celebrada no mês dos santos populares - Junho, e a tradição manda que a população festeje a data decorando as ruas com várias cores e manjericos. Bailes e marchas populares são organizadas nas ruas e a música está sempre presente.

Na gastronomia, a sardinha assada, o pimento, broa, caldo verde e vinho são os elementos principais da festa.

No concelho de Penalva do Castelo, a tradição ainda se comemora, embora já longe do fulgor e animo de outros tempos, nomeadamente na Lameira (Penalva do Castelo) e em Castelo de Penalva. Nomeadamente na Casa do Benfica, foi celebrado no último Sábado uma tradicional festa com direito a música popular entre a sardinha, broa, caldo verde e vinho.


Locais Devotos no concelho de Penalva do Castelo:

- Castelo de Penalva


- Lameira (Penalva do Castelo)

sábado, 27 de junho de 2015

Balanço Final dos Juniores Sub-19 Sport Clube Penalva do Castelo - Temporada 2014|15

Juniores (Sub-19):

Sport Clube Penalva do Castelo
x
Terminaram a Temporada



Analise Geral:

A equipa dos Juniores do Sport Clube terminou a sua participação no campeonato oficial no passado dia 07 de Março de 2015, atingindo o sexto lugar (6º) da classificação geral ao fim de terminada a fase regular da Zona Sul do respectivo campeonato, podendo-se sempre considerar uma honrosa classificação tendo em conta as condicionantes dos penalvenses ao longo da temporada e a performance desportiva (positiva) conseguida.
Sem uma regularidade constante, a turma penalvense realizou uma temporada digna, mesmo que não tenha atingido a fase final da competição, reservada (esta temporada) apenas para os três primeiros. Chegando a demonstrar que com mais sorte ou regularidade e no seu máximo de disponibilidade, a equipa tinha ou demonstrou valor e potencial para ficar numa posição mais acima da que obteve, mas como se sabe a classificação final é a soma de todas as jornadas e uma prova de regularidade.

Podendo-se considerar que foi uma temporada algo atípica, por diversos motivos - principalmente em matéria de jogadores. Dificilmente ou mesmo nunca houve algum encontro onde todos os atletas inscritos estiveram disponíveis para dar o seu contributo, tendo desde cedo sofrido várias baixas (refira-se importantes) por lesão como também desistências que foram deixando a equipa em diversos momentos (em grande parte) longe do seu máximo potencial e assim estar à altura de lutar eventualmente por uma melhor classificação onde passava pelo objectivo inicial único de lutar por um lugar nos três primeiros (de resto uma classificação que tem sido de proa ou recorrente nas últimas temporadas no escalão de juniores).

De trás para a frente - a sua prestação começou bem e da melhor forma, com dois triunfos consecutivos, depois sofrido três derrotas consecutivas, para depois voltar com mais dois triunfos seguidos. Seguiu-se uma nova derrota (frente ao Viseu e Benfica - 4º classificado final) mas a turma penalvense ultrapassou bem o desaire ao conseguir quatro encontros de seguida a pontuar (a melhor série de jogos a pontuar da temporada). A jornada 14 trouxe uma derrota frente ao líder (Académico de Viseu, que acabou por se sagrar campeão distrital no escalão) e numa altura em que os penalvenses ainda tentavam e ambicionavam chegar aos três primeiros. Uma derrota que não deixou marcas já que a seguir veio provavelmente o triunfo e a exibição mais conseguida da temporada ao vencer no terreno da equipa que viria a ficar na vice-liderança (Lusitano de Vildemoinhos) e ter disputado a fase final da competição. Em suma foi uma segunda volta mais conseguida do que a primeira em termos pontuais (um ponto de diferença) se bem que em golos marcados a primeira metade do campeonato "venceu" a segunda. O período mais critico ou menos conseguido em resultados foi desde a 3ª à 5ª (3 derrotas consecutivas). Os penalvenses acabaram por inclusive pontuar frente a equipas que ficaram melhor classificadas (em relação ao Mortágua (4º classificado) foram dois empates nos mesmos confrontos).

Uma parte (ainda significativa) dos atletas inscritos acabou por fazer a sua estreia neste escalão e também pela camisola penalvense (no total 7). Sendo no computo geral um plantel que acabou por não ser muito homogéneo, ao que seria o ideal ou certamente ao encontro do desejo da equipa técnica como directiva ao longo da temporada salientando algumas desistências (já referido atrás) com o decorrer da temporada, lesões graves e impeditivas para estar operacional como também alguns castigos federativos em diversos momentos da temporada (uma questão que também levantou queixas dignas sobre o trabalho de algumas equipas de arbitragem em alguns jogos).

Marcadores de serviço a destacarem-se, foram mais que um podendo-se fazer algumas referências individuais, salientando neste caso: Roberto Machado numa primeira fase (até sofrer uma lesão grave), Luís Filipe Almeida (pelo segundo ano consecutivo a destacar-se nos marcadores da equipa júnior, ele que até jogou esta temporada preferencialmente numa posição mais recuada no terreno), Hugo Rebelo (que também habitualmente joga na defesa mas sempre com um sentido de golo apurado, ele que vai em principio fazer parte da equipa sénior na próxima temporada), António Silva (mesmo com a sua entrada na equipa com o decorrer do campeonato, conseguiu marcar alguns golos e importantes para o resultado final), Marcelo Garcia (com idade juvenil foi em grande parte uma das opções iniciais para a frente do ataque), entre outros que acabaram por marcar golos decisivos e que não venham a ser mencionados por desconhecimento (como pode ser o caso também de João Silva). Muitos outros, assim, merecem ou mereciam destaques especiais, mas apenas temos mencionado os que por motivos mais óbvios ou que de facto estiveram mais em evidência pelo golos marcados. Outros também por diversos motivos tiveram em destaque na equipa nos jogos que efectuaram como os casos de Renato Domingos (também ele não seu o seu contributo em grande parte da temporada por motivos de uma lesão grave), Luís Faro (guarda-redes que veio com o decorrer da temporada), Daniel Henriques (dos jogadores mais regulares da equipa como de entrega ao jogo), José Figueiredo (outro que teve uma lesão mais grave e não pode dar o seu contributo numa boa parte das partidas efectuadas) e ainda outros como Diogo Pais (um jogador também regular e importante na equipa), Fabricio Figueiredo (apesar de não ser tão regular, demonstrou potencial), Pedro Simão (nos encontros em que foi chamado, cumpriu) e ainda Francisco Almeida, apesar de terminar a temporada castigado (a cumprir jogos de castigo federativo), demonstrou uma grande entrega pelo clube e pela equipa.

Estatística:

Em dados estatísticos, os Juniores de Penalva do Castelo realizaram 20 partidas (22 jornadas), tendo obtido nas mesmas - dez (10) triunfos, três (3) empates e sete (7) derrotas. Golos marcados foram quarenta e quatro (44) contra trinta (30) sofridos. A segunda volta foi mais benéfica em pontos do que a primeira (um ponto de diferença). Média de golos marcados foi de 2,20 enquanto a média de golos sofridos foi de 1,5.
Saldo de golos(diferença entre golos marcados e golos sofridos): 14 positivos.
Pontos foram no total 33 somados - 6º classificado.

Técnicos:


Quanto ao comando técnico, esteve a cargo na totalidade pelo mister Cláudio Amaral e também com o contributo de Jorge Rodrigues e ainda Hugo Almeida. Quanto ao apoio directivo esteve a cargo de Fábio Fernandes. O director como também toda a equipa técnica fez a sua estreia a representar o Sport Clube.



Futuro:


Quanto ao futuro dos jogadores desta temporada, digamos que é algo repartido, sendo de realçar que são mais os ficam do que os que sobem. Ou seja, uma parte maior continua com idade para prosseguir neste escalão enquanto a outra (menos de metade) fará a subida ao escalão superior - Seniores. Em relação ao comando técnico, ao que apuramos, o técnico desta temporada irá novamente comandar este escalão na próxima época.


Subidas para a idade Sénior na próxima temporada (8): Diogo Pais, Fabricio Figueiredo, Francisco Almeida, Hugo Rebelo, João Silva, Luís Filipe Almeida, Rafael Ascenção e Vasco Albuquerque.


Ficam para a próxima temporada disponíveis neste escalão (11): António Silva, Daniel Henriques, David Ferreira, Fernando Lopes, José Figueiredo, Leandro Ferreira, Luís Faro, Miguel Silva, Pedro Simão, Renato Domingos e Roberto Machado.


Mensagem final:

Sem excepção, Parabéns a todos pelo vosso empenho e dedicação, sejam atletas e equipa técnica principalmente, incluindo também os familiares dos respectivos e os directores que acompanharam o percurso diário de forma incondicional, como a todos os que contribuíram para que a temporada desportiva se realiza-se com sucesso!
Sem esqueçer aqueles que terminaram a sua formação ao serviço deste clube e que por diversos motivos possam não vir a representar mais o Sport Clube, um grande agradecimento e desejos de muitas Felicidades, principalmente para a sua vida pessoal!
A quem sofreu ou esteve impedido por questões físicas, o nosso desejo para que possam o mais rápido possível voltar à melhor condição física!
Vocês fazem parte do orgulho penalvense...:)

Algumas das fotografias que marcaram a temporada:


























Classificação após a 22ª e Última Jornada - Juniores (Sub-19) Distrital Fase Regular - Zona Sul 2014|15:


sexta-feira, 26 de junho de 2015

Balanço Final dos Juvenis Sub-17 Sport Clube Penalva do Castelo - Temporada 2014|15

Juvenis (Sub-17):

Sport Clube Penalva do Castelo
x
Terminaram a Temporada



Analise Geral:

A equipa dos Juvenis do Sport Clube terminou a sua participação no campeonato oficial no passado dia 08 de Março de 2015, atingindo o nono lugar (9º) da classificação geral ao fim de terminada a fase regular da Zona Sul do respectivo campeonato, podendo-se sempre considerar uma honrosa classificação tendo em conta as condicionantes dos penalvenses ao longo da temporada.
Sem uma regularidade constante, a turma penalvense realizou uma temporada digna, mesmo que não tenha atingido a fase final da competição, reservada (esta temporada) apenas para os três primeiros. Chegando a demonstrar que com mais sorte ou regularidade e no seu máximo de disponibilidade, a equipa tinha ou demonstrou valor e potencial para ficar numa posição mais acima da que obteve, mas como se sabe a classificação final é a soma de todas as jornadas e uma prova de regularidade.

Podendo-se considerar que foi uma temporada algo atípica tendo em conta o histórico do clube em juvenis, por diversos motivos - principalmente em matéria de jogadores. Dificilmente ou mesmo nunca houve algum encontro onde todos os atletas inscritos estiveram disponíveis para dar o seu contributo, tendo desde cedo sofrido várias baixas por lesão como também desistências que foram deixando a equipa em diversos momentos longe do seu máximo potencial e assim estar à altura de lutar eventualmente por uma melhor classificação. Também diversos atletas estiveram desde cedo a dar simultâneamente o contributo ao escalão superior de Juniores.

De trás para a frente - a sua prestação começou com uma derrota caseira frente a uma equipa que acabou por ser apurada para a fase final da competição (Viseu 2001) continuou com um empate e até terminar a primeira volta do campeonato foi um percurso bastante interessante no qual se destaca ou salta à vista a vitória no terreno do vice-lider ou a equipa que acabou por ficar na segunda posição e ter disputado seguidamente a fase final da competição. Em suma foi uma primeira volta mais conseguida do que a segunda em termos pontuais. O período mais critico ou menos conseguido em resultados foi então desde a última jornada da primeira volta (11ª) até à 15ª jornada onde regressou aos triunfos. As últimas duas jornadas foram de pontos apesar de não ter conseguido triunfar em ambas mas também não perdeu terminando-se assim de uma forma positiva.

Uma boa parte dos atletas acabou por fazer a sua estreia neste escalão e uma parcela significativa a estreia pela camisola penalvense. Sendo no computo geral um plantel que acabou por não ser muito homogéneo (ao que seria o ideal ou certamente ao encontro do desejo da equipa técnica como directiva) ao longo da temporada salientando algumas desistências (já referido atrás) com o decorrer da temporada).

Marcadores de serviço a destacarem-se, foram mais que um podendo-se fazer algumas referências individuais, salientando neste caso: Marcelo Garcia, Rui Silva, Rafael Silveira, José Carlos Costa, Tiago Batista, André Machado, Fábio Amaral e Diogo Cabral (na ponta final da temporada), entre outros que acabaram por marcar golos decisivos e que não venham a ser mencionados.  Muitos outros, assim, merecem ou mereciam destaques especiais, mas apenas temos mencionado os que por motivos mais óbvios ou que de facto estiveram mais em evidência pelo golos marcados. Outros também pela regularidade podem merecer uma menção mais personalizada, como os casos de Luís Vasco Fernandes, Alexandre Santos, Ricardo Rodrigues ou Leandro Melo, entre outros.

Estatística:

Em dados estatísticos, os Juvenis de Penalva do Castelo realizaram 22 partidas, tendo obtido nas mesmas - seis (6) triunfos, cinco (5) empates e onze (11) derrotas. Golos marcados foram vinte e oito (28) contra quarenta e um (41) sofridos. A primeira volta (como já tínhamos mencionado atrás) foi mais benéfica em pontos do que a segunda. Média de golos marcados foi de 1,27 enquanto a média de golos sofridos foi de 1,86. Pontos foram no total 23 somados.

Técnicos:


Quanto ao comando técnico, esteve a cargo na totalidade pelo mister Carlos Lopes e também com o contributo de Pedro Miranda (este de forma menos directa já que foi o técnico auxiliar deste escalão e o principal do escalão de Sub-12). Quanto ao apoio directivo esteve a cargo repartido entre Raul Freitas e André Lopes. Os directores transitaram da temporada passada (sendo que André Lopes de um escalão de Futebol 7 ao passo que Raul Freitas vinha do mesmo escalão), enquanto o treinador Carlos Lopes fiz a sua estreia a representar o Sport Clube.



Futuro:


Quanto ao futuro dos jogadores desta temporada, digamos que é algo repartido, mas que contudo são mais os que sobem do que os que ficam. Uma parte continua com idade para prosseguir neste escalão enquanto a outra (mais de metade) fará a subida ao escalão superior - Juniores. Em relação ao comando técnico ainda está a ser ponderado (ao que apuramos) o técnico que irá comandar este escalão na próxima temporada.


Subidas para a idade Júnior na próxima temporada (15): Alexandre Aguiar, Alexandre Pimentel, Bruno Almeida, Daniel Neves, Diogo Cabral, Fábio Damil, Francisco Pina, João Carlos Silva, Leandro Melo, Luís Carlos Claro, Luís Pedro Ferreira, Luís Vasco Fernandes, Marcelo Garcia, Max Coelho e Rui Silva.


Ficam para a próxima temporada disponíveis neste escalão (11): André Ferreira, André Machado, Alexandre Santos, Fábio Amaral, Flávio Pereira, Gonçalo Sousa, José Carlos Costa, Rafael Silveira, Ricardo Rodrigues, Tiago Baptista e Tiago Cruz.


Mensagem final:

Sem excepção, Parabéns a todos pelo vosso empenho e dedicação, sejam atletas principalmente, incluindo também os familiares dos respectivos que acompanharam o percurso diário de forma incondicional, como o técnico e os directores e a todos os que contribuíram para que a temporada desportiva se realiza-se com sucesso. Vocês fazem parte do orgulho penalvense...:)







Classificação após a 22ª e Última Jornada - Juvenis (Sub-17) Distrital Fase Regular - Zona Sul 2014|15:

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Balanço Final dos Iniciados Sub-15 Sport Clube Penalva do Castelo - Temporada 2014|15

Iniciados (Sub-15):

Sport Clube Penalva do Castelo
x
Terminaram a Temporada


Analise Geral:

A equipa dos Iniciados do Sport Clube terminou a sua participação no campeonato oficial no passado dia 08 de Março de 2015, atingindo o quinto lugar (5º) da classificação geral ao fim de terminada a fase regular da Zona Centro do respectivo campeonato, sendo uma honrosa e prestigiada classificação tendo em conta as condicionantes e possibilidades dos penalvenses.
Sem uma regularidade constante, a turma penalvense realizou uma temporada muito digna, mesmo que não tenha atingido a fase final da competição, reservada apenas para os dois primeiros. Chegando a demonstrar que com mais sorte ou regularidade, a equipa tinha ou demonstrou valor e potencial para ficar numa posição um pouco mais acima da que obteve (pelo menos um lugar), mas como se sabe a classificação final é a soma de todas as jornadas. Foram várias goleadas a favor como algumas sofridas num escalão onde ainda o factor físico (capacidade atlética) ainda faz alguma diferença já que é visível muito desiquilibrio entre os atletas deste escalão - o primeiro acima do futebol 7. A turma penalvense sabia das dificuldades iniciais para ter uma equipa com soluções para lutar ou ambicionar outros patamares e fez da união uma força extra para realizar um campeonato muito interessante, que culminou com uma bela performance desportiva com 25 golos positivos entre os marcados e sofridos. Terminou e acabou com um triunfo gordo. A classificação final demonstrou uma espécie de duas divisões no campeonato (5 primeiros e os 7 últimos, dado que apenas os primeiros referidos conseguiram uma performance desportiva positiva (diferença entre golos marcados e sofridos)).

De trás para a frente - a sua prestação começou com uma vitória estrondosa e moralizadora frente à equipa B do Académico de Viseu por 8-1 tendo na primeira volta somado cinco vitórias no total em onze possíveis. O melhor período a pontuar surgiu no final da primeira volta e inicio da segunda com 5 vitórias em 6 jogos consecutivos, tendo depois passado o período mais dificel da temporada (3 derrotas consecutivas) para terminar em grande estilo ao somar pontos consecutivos nos últimos quatro encontros da fase regular. Na segunda volta do campeonato, a equipa penalvense conseguiu vencer mais vezes do que na primeira mas também sofreu mais um derrota em relação à primeira metade do campeonato o que equivaleu empatar menos. Dos resultados mais conseguidos frente a equipas melhor classificadas ficou na retina o empate com o Viseu e Benfica (3º classificado) como outro empate frente ao 4º classificado - Oliveira de Frades, com quem acabou por travar um duelo interessante pelo quarto lugar ao longo de praticamente toda a temporada.

Mais de metade dos atletas que representaram o escalão transitou do mesmo clube - o Sport Clube, mas uma outra parte dos atletas fez a estreia pela camisola do penalvense sendo provenientes do colectivo satense a maioria como outro do Académico de Viseu e outro ainda, a fazer a estreia como federado, sendo no computo geral um plantel que acabou por ser homogéneo ao longo da temporada salientando poucas desistências com o decorrer da temporada - apenas duas (Alexandre Costa e Francisco Ferreira). Ainda é de destacar que os Iniciados se debateram com algumas lesões mais prolongadas o que ainda acabou por outro lado por promover esporadicamente a chamada de atletas de idade de Sub-13, provenientes do Futebol 7, casos de Hélder Cabral, João Henriques, João Tiago, Gonçalo Dias e João Artur Almeida.

Marcadores de serviço a destacarem-se, foram mais que um podendo-se fazer algumas referências individuais, salientando neste caso alguns casos que já vinham da temporada anterior como: Rodrigo Albuquerque e Pedro Almeida - dois atletas de segundo ano (que acabaram por ser os melhores marcadores) tal como ainda João Garcia e David Teixeira (nestes seus regressos ao clube penalvense) e ainda casos de David Abrantes e Rúben Ferreira, como de Francisco Rodrigues e Fábio Lourenço (que acabaram por ser chamados aos treinos de observação da selecção distrital no escalão de Sub-14, sendo que o caso de Francisco Rodrigues merece maior destaque por ter figurado na lista final para disputa do conceituado Torneio Lopes da Silva no escalão de Sub-14 (embora não tenha infelizmente por motivos físicos dado o seu contributo real na competição). Muitos outros merecem ou mereciam destaques especiais, mas apenas mencionamos os referidos por motivos mais óbvios ou que de facto estiveram mais em evidência pelo golos marcados quer pela chamada à selecção distrital.

Estatística:

Em dados estatísticos, os Iniciados de Penalva do Castelo realizaram 22 partidas, tendo obtido nas mesmas - onze (11) triunfos (metade dos jogos realizados), quatro (4) empates e sete (7) derrotas. Golos marcados foram setenta e seis (76) contra cinquenta e um (51) sofridos. A primeira volta foi menos benéfica em pontos do que a segunda (mais derrotas mas mais vitórias). Média de golos marcados foi de 3,45 (4º melhor ataque do campeonato) enquanto a média de golos sofridos foi de 2,32. Pontos foram no total 37 somados no totalidade.

Técnicos:


Quanto ao comando técnico, esteve a cargo na totalidade pelo mister Joel Moreira mais também com o contributo de Fernando Coelho (este de forma menos directa já que foi o técnico principal do escalão inferior de Sub-13). Quanto ao apoio directivo esteve a cargo de João Figueiredo na sua maioria e ainda com o apoio de Pedro Ferreira. Todos (à excepção de Pedro Ferreira)  fizeram a estreia a representar o Sport Clube.



Futuro:


Quanto ao futuro dos jogadores desta temporada, digamos que é repartido, mas que contudo são mais os que sobem do que os que ficam. Uma parte continua com idade para prosseguir neste escalão enquanto a outra (mais de metade) fará a subida ao escalão superior - Juvenis. Em relação ao comando técnico ainda está a ser ponderado (ao que apuramos) o técnico que irá comandar este escalão na proxima temporada.


Subidas para a idade juvenil na próxima temporada (12): Cristiano Pessoa, David Teixeira, Diogo Melo, Francisco Ferreira, Ivan Figueiredo, João Garcia, Marco Ferreira, Miguel Albuquerque, Pedro Machado, Pedro Almeida, Rodrigo Albuquerque e Rúben Lopes.

Ficam para a próxima temporada disponíveis neste escalão (7): Alexandre Costa, Dani Melo, David Abrantes, Fábio Lourenço, Francisco Rodrigues, Guilherme Lopes e Rúben Ferreira.



Mensagem final:

Sem excepção, Parabéns a todos pelo vosso empenho e dedicação, sejam atletas principalmente, incluindo também os familiares dos respectivos que acompanharam o percurso diário de forma incondicional, como o técnico e os directores e a todos os que contribuíram para que a temporada desportiva se realiza-se com sucesso. Vocês fazem parte do orgulho penalvense...:)












Classificação após a 22ª e Última Jornada - Iniciados (Sub-15) Distrital Fase Regular - Zona Centro 2014|15: